Participação em matéria do El País sobre mulheres na literatura

Esses dias eu pensei: o Desesterro é, também, um livro sobre violência contra a mulher. A Fátima, coitada, apanhou tanto do marido que se olhar bem direitinho na pele dela você consegue ler o seu destino. Esses dias eu pensei, e não quando eu e a Marta conversamos com a Camila (para o artigo “‘Homem ganha prêmio de literatura’, a manchete que você nunca vai ler”), no melhor estilo quando pensei na resposta já tinha terminado a discussão. Deve ser porque, antes, Desesterro é um livro sobre fome se bem que parando para pensar a fome é outra dessas mulheres de quem a gente só lembra quando grita. Bora gritar, até não ser mais preciso.

Anúncios